quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Olhando pelo retrovisor, ou, lá se vai 2011


Parece brincadeira, mas ontem era 2010 e eu estava planejando 2011, e amanhã já é 2012...
Ok, tudo bem.... cai no lugar comum, isso todo mundo acha e fala, mas esse é o sentimento. Passou rápido demais, e ao mesmo tempo parece que algumas coisas aconteceram há milênios, mas na verdade aconteceram há poucos meses.

Olhando pelo retrovisor, vejo 2011 com uma cara um pouco diferente do que planejei. Não cumpri alguns objetivos, isto é certo, não quebrei grandes recordes, mas no todo, é um ano que vai deixar saudades...

Viagem à Europa para passear e correr a Meia de Paris com os amigos, os treinos de ciclismo com o Marco e o Gabriel, o início da natação (que até hoje não aprendi a gostar), as aulas de spinning (no começo chatas, mas agora esperadas), e sem esquecer os longões com a TURMA (Arnaldo, Silvia, Jairo, Marco e Eu).

Dos Top Ten que lancei no post "De Olho em 2011", não consegui, na Meia de Paris, baixar meu tempo (o melhor tempo em Meias continua sendo Nova York), no Rio, apesar de ter baixado o tempo em relação a 2010, e não dá pra dizer que cumpri (fiz em 2hs - maldita bolha no pé). Também não consegui voar de parapent, todas as vezes que tentei faltou vento e não sai do lugar. Prio ainda o longão de 30 km... sem chance, não fiz (culpa dos treinos de bike aos sábados?)

Os outros 6 itens.... ok, CONSEGUI

- Correr no máximo 10 provas, fiz 11, mas uma foi recreativa;
- Fazer pelo menos 2 corridas de aventura: se considerar que fazer a subida de Maresias no Revezamento Bertioga Maresias foi uma bela aventura..... ok
- mais provas de Revezamento: fiz 3 (Pão de Açucar, Bertioga Maresias, Ayrton Senna)
- fazer sprint negativo, ou seja correr a 2ª metada da prova mais rápido do que a 1ª, ok aprendi;
- novos amigos / reforçar amizades, cumpridissíma.
- Começar a pedalar: não apenas começei como treinei bastante.

60% dos objetivos cumpridos, nada mal. principalmente por que ainda teve um bônus:

Nadar

Finalmente, aos 50 anos de idade, e apesar de não gostar muito, frequentei, quase que fielmente, as aulas de natação.

Resumão de 2011:

PROVAS DISPUTADAS

- 2 Meias Maratonas (Paris e Rio);
- 3 Provas de Revezamento (Pão de Açucar, Bertioga Maresias, Ayrton Senna);
- 1 Prova de Aventura (Corrida das Torres);
- 1 Prova Noturna (98 Beach Running);
- 1 Prova de 10 Milhas (Mizuno)
- 3 Provas de 10 km (Campeonato Santista e A Tribuna)

QUILOMETROS RODADOS (até 21/12)

Corrida   1.486 Kms em 164 horas, comparando com 2010, forma mais kms em menos horas. Até o final do ano devo chegar a 1.505 Kms em 166 hs.
Bike         415 kms em pouco mais de 20 hs (deve ter sido mais do que isso, nem sempre usei o Garmin);

BLOG

59 Posts, 6.440 acessos, 22 seguidores









terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Neblina x Treino



Neblina, condensação que ocorre junto à superfície, causada pelo resfriamento do ar quente e úmido quando entra em contato com o solo frio. Nessa situação o ar quente perde calor para o solo frio e se esfria, fazendo com que o vapor de água se condense.

Ok, e o que isso tem a ver com treino? Teóricamente, nada.

Se estivesse em Londres, correr no Hyde Park, ou no Regent's Park, com o Fog Londrino, até podería ser charmoso, mas... Moro em Santos, e trabalho em São Bernardo, e entre as 2 cidades tem a Serra do Mar, o pedágio da Imigrantes, e uma frequente formação de neblina, que leva a Ecovias a operar a descida da serra em comboio, e nessa situação a viagem de pouco mais de 60 minutos acaba virando 90  ou 120 minutos.

Semana passada foi típica.... neblina todos os dias, e o impacto nos treinos foi grande. Mesmo estando em uma fase de "quase férias", "quase trabalho de base", e com treinos mais leves, esses atrasos sempre causam estrago, seja nos horários, seja na vontade de treinar.

O resultado na planilha da semana foi:

Segunda feira, dia de natação e musculação, cheguei tarde em Santos, e só deu tempo pra uma musculação meia boca e um treino leve de spinning.

Terça Feira, novamente o Papai Noel da empresa ao lado sumiu, e isso significa neblina, Mas até que dessa vez o estrago foi pequeno, nem 30 minutos de atraso. Programação do dia, 45 minutos leve (fizemos 6,5km com pace de 6"25), em companhia da Silvia que estava voltando a correr depois de uma crise de sinusite. Novidade do dia, Bia e do Caio (filhota e genro) que resolveram começar a correr, foram para caminhar.

Quarta feira, dia de natação e spinning, mas, novamente o Papai Noel sumiu, e cheguei a tempo de fazer 40 minutos de natação e um pouco de musculação.

Quinta feira, treino de corrida, 40 minutos confortável. Desta vez não deu pra ver se o Papai Noel sumiu (passei o dia inteiro em reunião em Cajamar), mas a neblina estava lá, e por sorte não cheguei tarde em Santos. Mas, São Pedro não ajudou e mandou um baita temporal justo na hora que eu estava saindo pra treinar. Depois do vendaval, mas ainda com chuva leve, sai pro treino (lá pelas 21hs), o gostoso é que a praia estava vazia, ninguém andando ou correndo, e não fosse o ataque da "luz verde" (daqueles malditos laser point que alguém de algum prédio da orla apontava em minha direção), dava pra dizer que eu tinha alugado aquele belo cenário com exclusividade. Resultado do treino,  7km com ritmo médio de 5"25.

Sexta feira, preguiça. Depois de um dia de trabalho bastante estressante (mais que o normal), deixei a planilha de lado e ..... descanso.

Sábado, chuva, muita chuva, e o treino de bike (80 minutos), foi substituido pela musculação. A idéia era realizar o treino no domingo, mas....

Domingo, dia de descanso, mas como o descanso já tinha sido antecipado para 6ª feira, e como amanheceu com chuva, e já que também não deu para pedalar, aproveitei a avenida de praia interditada para realização do Troféu Brasil de Triathlon, e fiz um "longuinho" de 12 km progressivo. Legal foi correr na Av. Portuária, em uma faixa isolada bem no meio do percurso de ciclismo do triathlon, além de um visual diferente e muito legal, deu para ver que não estou tão mal assim na bike.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Em Obras


Ontem foi efetivamente a última prova oficial de 2011. Inicialmente a idéia era fechar o ano com a 98 Beach Running, mas na última hora consegui uma vaga na Equipe Gama para correr a Ayrton Senna Racing Day - 2011,  e resolvi não disperdiçar a oportunidade de fazer mais uma prova de revezamento e principalmente por ser em Interlagos.

Correr em Interlagos não é fácil, calor, asfalto diferente, vento contra, pista inclinada, subidas, subidas, subidas... mas, fazer o S do Senna, o laranjinha, e passar pela Reta dos Boxes, também não tem igual.

Comecei meu trecho às 12:25hs, debaixo do maior sol de chuva, aquele bem quente e ardido, mas na reta oposta começou a pintar umas nuvens, e até o final, apesar do calor, o sol deu uma trégua. Este ano, apesar do horário, e de uma infecção intestinal que me atormentou a semana inteira, consegui baixar meu tempo em todos os Kms. Ano passado fechei os 5,25 km em 32 minutos, este ano em 30:15, ou seja... finalmente um PR em 2011.



Agora, é começar a construir 2012, definir objetivos, escolher provas, mas sem dúvida o mais importante, começar o trabalho de base para iniciar o próximo ano com melhor condicionamento, e buscar melhores resultados.

E nesse sentido a planilha desta semana veio bem enxuta.... 2 aulas à menos de spinning, menos metros de natação, e treinos de corrida mais leves, e com um recado bastante direto, é para obedecer a planilha.

domingo, 27 de novembro de 2011

98 Beach Running



A corrida mais irada do litoral não foi tão irada assim...a proposta é boa, o horário ótimo, a corrida foi gostosa, animada, cheia de gente conhecida, mas podia ter sido melhor, podia realmente ter sido irada.

A arena montada na areia da praia, próximo ao emissário submarino, estava muito legal, clima de luau, dançarinas havaianas, iluminação diferente, pouca coisa indicava uma corrida, o visual era mais de um campeonato de surf. 

A realização da prova de 9,8 km, na noite de sábado, junto com a caminhada de 4,9km, foi legal porque acabou proporcionando a participação da família toda, e a festa ficou mais bonita.


Com uma largada em curva, e sem indicação exata do ponto de partida, o começo foi meio confuso. Já o percurso, Emissário - Aquário - Emissário, tudo pela areia da praia, e com ajuda da maré que estava baixa e facilitou a passagem pelos canais, é perfeito, e ficou melhor ainda em uma noite quente e com leve brisa (sem o vento forte que vem atrapalhando o treino nos últimos dias).





Gostoso correr em casa, com os amigos e novamente sem compromisso de baixar tempo. Inicialmente eu até tinha pensado em tentar fechar o ano com um PR, mas acabei treinando ciclismo pela manhã, e também consegui uma equipe para participar do Ayrton Senna Racing Day no próximo domingo, e pra ajudar o clima de festa....

Largamos juntos Eu, o Marco, a Vera, o Arnaldo, o Jairo e a Silvia (gripada). A Vera forçou muito no início e logo baixou o ritmo, o Marco, também cansado do treino da manhã, também diminuiu. Ali pelo Km 6, o Arnaldo e o Jairo abriram. No final Eu e a Silvia cruzamos a linha de chegada juntos, em 52 min. (analisando o Garmin, nossa corrida foi um relojinho, todos os kms em torno de 5min30 seg.)

Depois da chegada encontrei o grande Junior (que já tinha batido mão comigo durante a corrida, e que chegou bemmmmm na minha frente), a sua Cláudia e a Yeda que chegaram praticamente junto comigo. Legal rever esse pessoal, amigos legais, e que infelizmente a gente só encontra em corridas.

Bom, a prova foi boa, com marcação dos kms, com excelente hidratação, mas o evento não foi IRADO como dizia propaganda... faltou pontos de musica durante o trajeto, faltou ter no meio do percurso algumas tochas, ou até as bandeiras como as que indicavam o retorno, ou seja, faltou lembrar no percurso  aquele clima de luau que tinha na largada.

Depois, pra fechar uma confraternização em um Boteco.


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A última do ano

Normalmente encerro o calendário de corridas com a Volta da Pampulha ou com a São Silvestre, que estão, ou estavam, entre as provas que mais gosto de correr.
Este ano estou fechando meu calendário de provas oficiais ainda em novembro. A não participação na Volta da Pampulha e na São Silvestre, tem mais um caráter de boicote pessoal à Yescom, empresa organizadora dessas provas.
Os motivos do boicote são muitos, desde a falta de preocupação com o corredor amador (horários de largada, atrasos na largada, mudanças de percurso, ...), até o excesso de preocupação em atender às necessidades da  transmissão da Tv Globo.
Na Pampulha, é comum atrasar a largada (que já é às 9hs, embaixo do sol e calor de BH) em função da transmissão de finais de voley ou outros eventos. Na São Silvestre, depois do ano passado, com a entrega da medalha no Kit, antes mesmo da corrida, este ano eles resolveram que em 2012 o percurso não será mais o tradicional, e agora começará na Av. Paulista e a chegada será no Ibirapuera. Deixando dentro desse novo percurso pontos de risco para o corredor. Se somente isso não fosse suficiente para uma bronca geral dos corredores amadores, tem as declarações infelizes do Organizador da corrida.
A opção para fechar o calendário de 2011 foi a 98 Beach Running, prova noturna, com percurso de 9,8 Km ns areias da praia de Santos.
E o que melhor do que fechar o ano com uma corrida na minha cidade, no mesmo lugar onde normalmente faço meus treinos.

Além dos atrativos, prometidos pelos organizadores da corrida (Luau, muita música, iluminação especial), e da minha família que irá como caminhante, ainda estará lá todo pessoal da Gama, que treina comigo, da Academia e do Spinning, além do pessoal por quem passo à noite nos treinos na praia.  A única dúvida para essa corrida é forçar ou não o ritmo. A TURMA quer ir leve, como  fizemos no último domingo no Campeonato Santista, mas eu estou pensando em testar um pouco mais os resultados do cross training (com natação e ciclismo) iniciado este ano.
Forçando ou não, certamente será uma prova legal, e com muita festa depois da chegada.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Trocando Campos por Santos


Eu temia essa prova, afinal era efetivamente minha primeira prova de ciclismo de estrada, e o desafio bastante grande, afinal subir a Serra de Campos do Jordão pedalando não deve ser nada fácil.

A preparação para o 10o Desafio Serra de Campos de Ciclismo não foi muito longa (menos de 04 meses), mas forte e efetiva, poucos treinos de estrada (só aos sábados, e boa parte deles cancelados por causa da chuva), com subidas muito mais leves do que as de Campos, mas tudo isso compensado em aulas de spinning (3 x por semana, e às vezes aula dupla).

O equipamento (bike), apesar de bom, precisou ser ajustado, com uma catraca melhor e emprestada. E para ajudar o Gabriel tinha conseguido uma catraca melhor ainda para trocarmos em Campos.

Além do desafio, tinha o final de semana em Campos do Jordão, com previsão de frio, e de bons passeios em companhia de família e amigos.

Se o receio de alguma coisa não dar certo era grande (uma queda, altitude de Campos, ser o último a chegar), a vontade de encarar o desafio não era menor, afinal o último treino (na serrinha da Imigrantes) somado aos ajustes da bike, e uma mudança no percurso pela organização (redução de 13 km) , indicavam que chegar eu ia (mesmo que precisasse empurrar a bike em alguma parte do percurso).

Ante véspera da prova tudo parecia ok, hotel pago, malas quase prontas, carros preparados para levar as bikes, tudo certo para a viagem, estratégia de café da manhã traçada (afinal para começar a corrida às 8hs da manhã, precisariamos sair do hotel pelo menos às 6hs), e .... às 20 hs, o celular vibra indicando que chegou mensagem. Dei uma olhada rápida, afinal estava no trânsito (parado no semáforo), mas deu pra ver que era da Copa VO2 comunicando que o DER havia determinado mudança no trajeto da corrida e que no site estavam informações adicionais. Em seguida mais 02 mensagens com o mesmo teor.

Uma olhada no site, e se o percurso original já preocupava, o novo não deixava dúvidas - sem chance de tentar. Para ter uma idéia do tamanho da nova encrenca, tem subida com 25% de inclinação (até empurrar a bike deve ser difícil).

Falha da organização, pouco caso do DER que informou erm cima da hora, difícil descobrir, mas que ficou um sentimento de frustração, ficou.

Frustração tão grande, que até a vontada de ir pra Campos acabou.

Mas, como não dá para ficar parado... no domingo acabei substituindo a prova de Campos por uma prova (pedestrianismo) em Santos, corrida gostosa passando por praticamente toda orla da praia.

Gostoso foi, além do belo visual, correr em companhia dos amigos. Formamos um pelotão para correr leve e se divertir. Objetivo fazer a prova em 1 hora, mas garantindo muito papo e boas risadas.

Largamos juntos Eu, o Gabriel, o Arnaldo, o Jairo, o Sérgio e a Silvia. E asim foi até o km 5, quando o Gabriel resolveu abrir e ir buscar outros corredores do Gama que estavam mais à frente. No km 8 o Sérgio ficou um pouco mais para traz. Na linha de chegada passamos juntos Eu, o Jairo, a Silvia e o Arnaldo. Resultado 56 minutos, tempo bem acima do que costumamos fazer, mas com muita diversão.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

O Tamanho da Encrenca !

Finalmente foi definido o percurso do 10º Desafio Serra de Campos de Ciclismo, não no site da prova, mas no site da Revista (Prólogo) que organiza o evento. A única informação até o final da última semana era o ponto de largada e a chegada, ou seja, saída em Santo Antonio do Pinhal e chegada em Campos do Jordão. A distância podia ser de 30 km (usando o trajeto da prova realizado em maio/2011) com subidas muuuuuito ingremes, ou 50km (mesmo das edições anteriores a maio/11) com 13 km de subidas não tanto ingremes (mas mesmo assim fortes).


1,100

A Prova voltou para o percurso original de 50 km, menos mal, consegui dimensionar o tamanho da encrenca, mas, apesar da inscrição estar feita, e a reserva de Hotel também, a dúvida persiste, participar ou simplesmente ir à Campos a passeio e ver os amigos chegarem?

Os motivos de dúvida são muitos, desde ser minha primeira prova de ciclismo, passando pelos 13km diretos de subidas (em meus treinos o máximo foi de 2km), até a questão da altitude de Campos de Jordão (ar rarefeito), se correr lá é difícil imagina pedalar.

Pra ajudar, ontem consegui na internet algumas informações sobre a Serra Velha de Campos, e, no final do site, apesar de animador, um conselho:





Vá de bikeNada além de você mesmo impedirá que você suba a serra de Bicicleta, além de um ótimo exercício é também um ícone de superação. Consulte seu médico antes. Muitos não conseguem.











Abrir mão de participar, não é uma questão de honra, mas de oportunidade, será que em 2012 terei novamente companhia para ir?

Independente do dilema, os treinos seguem intensos, depois dos 40 Km do sábado anterior (29/10), esta semana tive 2 dias de aula dupla de spinning (quase 2 hs pedalando sem sair do lugar), e para a semana que se inicia mais 2 dias spinning (um de aula dupla e outro natação/spinning).

De qualquer forma todo esse treinamento em bike, com foco na prova de Campos, tem trazido resultado positivo também na corrida, os 2 treinos longos da última semana, mesmo feitos com sol e vento contra, mostraram evolução, tanto na resistência como na velocidade. Na 4ª feira foram 15 km, leves, às 16 hs, com calor, sol e vento, com média de 6 min por km (considerando 2 subidas na Ilha Porchat - rotatória), já no sábado (faltei no treino de bike), foram 13,5km leves, às 9hs, também com calor, sol e vento (de diferente - apenas 1 subida até a rotatória da Ilha Porchat), o resultado foi 5:50 min por km (o importante é que na volta, com vento contra, fui cerca de 10 min mais rápido, e sem sentir o esforço).

Além dos "spinnings" e natação desta semana, o treinamento ainda prevê 1 dia de corrida leve, 1 dia de corrida com tiros, 60km de ciclismo de estrada no sábado, e participação na Corrida dos Fortes - Guarujá (10 km de belo visual eboas subidas), no domingo.

domingo, 30 de outubro de 2011

Sabadão, longão de bike, uniforme novo,


Há um debate acontecendo em minha cabeça, a dúvida em participar do Desafio de Campos persiste. De um lado penso que me falta experiência em provas de ciclismo (afinal estou treinando há pouco mais de 6 meses, e o grande desafio dessa prova são as subidas). De outro, todo sábado que consigo treinar percebo que tenho evoluído bem.

Juan, Gabriel (de uniforme novo) e Eu



A planilha previa 45 km com subidas, programado saída às 6:30 da manhã, ponto de encontro minha casa, e lá vamos Eu, Marco, Gabriel e Juan (os 2 Treinadores que também irão participar da prova), com o novo Uniforme de ciclismo do Gama.

Só na chegada na Rio-Santos, em frente ao Posto da Polícia Rodoviária é que o Gabriel contou o percurso do treino, uns 60 km, incluindo as subidas de rotina e do Quilombo.

E lá vamos os 4, Rio Santos, depois Piaçaguera (Guarujá - Cubatão),  até o Pólo Industrial de Cubatão. Estrada cheia de caminhões, com direito a uma boa subida na ida (quase 1,5km, com 90 mts de altitude). Na volta de Cubatão, uma subida mais forte, pouco mais de 2km com 120 mts de altitude, e no final uma descida bem agressiva. Até ai tudo bem, já percorridos mais de 27 km, e ... um barulho forte na bike. Lembrei da prova de Bertioga (minha primeira corrida de bike, e que poderia ter dado podium) que com menos de 200mts de corrida a corrente da bike estourou.

Parei, olhei, não vi nada estranho, então continuei.

Na chegada à Rio Santos, uns 10km à frente, o Juan falou que tinha estourado 1 raio da roda traseira da minha bike.. Explicado o barulho, mais ainda não o peso adicional da bike.

Na parada para atravessar a Piaçaguera, um daqueles tombos ridículos (fazia tempo que não acontecia), parado.

Na Rio Santos  a ideia era ir até o Caruara e voltar para o Posto da Rodviária (mais uns 20km), o Marco, o Gabriel e o Juan foram, e totalizaram os 60 km. Eu ainda tava brigando com a bike, pedalava, pedalava, e a velocidade não passava dos 20km por hora. Ai veio a explicação, o Gabriel falou que o freio traseiro (pela falta do raio), tinha travado.
Eu, Juan, Marco

Ainda fiz mais 8km, de plano, mas que pareceram de subida, e parei. Total, 48 km em 2hs11min.

Treino bom? muito bom, apesar do imprevisto, até deu mais segurança pra Campos. Falta a organização da corrida definir o percurso.


À tarde, levar a bike no Ney (Ney Bikes) para arrumar o raio, e voltar a treinar no domingo, mas.. a chuva atrapalhou, e o jeito foi fazer uma corridinha leve (8km), justamente quando o sol abriu, e forte.

Próxima semana, bike na veia.... (spinning dupllo na 2a, 40 km na quarta, longão com subidas no sábado).

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Rumo à Montanha (?)


Depois de "vencer", no último final de semana, a Serra de Boiçucanga e Maresias correndo, ou melhor à pé (meio que correndo meio que andando), vem ai o meu maior desafio deste ano... Desafio Serra de Campos - 50 km de bike, com muuuuita subida, entre Santo Antonio do Pinhal e Campos do Jordão.

Se até aqui São Pedro não tinha ajudado (todo sábado chovia) nos treinos de bike, e  o principal do treinamento eram treinos de corrida em subida e areia fofa, à partir desta semana a corrida fica mais leve, e
o treino de bike mais intenso, e afinal o tempo perdido (muito em função das chuvas dos últimos sábados) precisa ser recuperado.

Estratégia, abusar do spinning, forçar mais nas aulas (3x por semana), e aguentar fazer uma aula dupla por semana.

A primeira aula dupla foi 4ª feira, com 2 horas pedalando sem sair do lugar, na imaginação (ou na carga) algumas subidas longas, outras mais fortes, bom, o importante é que resisti bem. O objetivo era resistência, e o resultafo foi positivo, apenas uma pequena parada pra trocar de roupa (ensopada de suor), e pegar água.

Amanhã tem Rio-Santos, 60km, com muitas subidas (reais), descidas, planos.... o objetivo é desenvolver a estratégia pra o dia da prova, além do tempo em cima da bike, treinar hidratação, alimentação, equlibrio para abrir o gel de carboidrato e tomar, sem cair da bike (pros outros bikers isso é fácil, mas com a falta de coordenação que eu tenho.... é um risco).

Em termos de corrida, esta semana tive 2 treinos recuperativos (leves) de 45 minutos (mesmo assim a dor da coxa voltou), e na natação... bom folga de 1 semana, na próxima tento voltar.

Desafios até o final deste ano:
 . Desafio Serra de Campos (se for mantido o trajeto inicial, não o que fizeram em maio)
 . Corrida dos Fortes (Pedestrianismo - Guarujá - com boas subidas)
 . 98 FM Beach Run (Pedestrianismo - areia da praia, à noite - Santos)

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Efeito Maresias....



Tô sentindo até agora, as pernas ainda estão doloridas, e não deixam esquecer da experiência do último sábado. Mas se o leve dolorido incomoda, a satisfação de ter vencido esse desafio é muito maior.

Mas vamos ao começo, Prova de Revezamento Bertioga Maresias, largada no Forte de Bertioga, chegada , 75 km depois, nas areias fofas da praia de Maresias em São Sebastião. Percurso pelas praias e serras do litoral norte de São Paulo, e alguns trechos pela estrada Rio-Santos.



Gama Assessoria Esportiva com 03 Equipes de 9 integrantes, e 01 Solo (Marcio - Campeão da Categoria Solo com 05hs45min), e estratégia de apoio definida com alguns dias de antecedência, que, como sempre funcionou bem, mas.... também como sempre, a estrada estava mais cheia do que em anos anteriores, e... o stress de levar os integrantes aos postos de troca não foi pequeno. Para ter idéia o trecho entre Guaratuba e Juqhey, que normalmente sería feito em 40 minutos, demorou mais de 2 hs, isso trafegando parte do tempo no acostamento.


GAMA 3GAMA 4GAMA 6
TRECHOAtleta
1GABRIEL LOTFIMARCELOMARCOS NERI
2ALICESABINORODOLPHO
3DENILSONELIELSONLIVIA
4AILTONEMILIAFABIO
5MARCELO FREIREROGÉRIO DALLAALBERT
6NORTHONAUGUSTOALVARO
7LÉOMARCO MACIAROGÉRIO SOARES
8JAIROCAMARAROSE
9ARNALDOSILVIAMARIO MACIA
Tempo Previsto06hs50min07hs05min07hs05min

Largada dada, este ano um pouco mais tarde (às 8hs15), e lá vão algumas centenas de corredores, e no meio as 03 equipes da Gama (todos compartilhando a mesma  estrutura), em direção a Maresias.
A sequência de chegada em cada posto de troca é difícil de detalhar, mas o stress de levar os integrantes das equipes a cada posto de troca foi grande. O congestionamento na Rio Santos era grande, em função da corrida (um dos postos de troca fica bem na Rio Santos, e ali o trânsito para mesmo), de um Campenonato de Surf em Maresias e um final de semana de muito sol.

Mário, Arnaldo, Fabinho, Marco

A Van que levava o pessoal dos postos 4,5, 6 ficou presa na estrada, e para não atrasar mais ainda as trocas, de moto o Marco e o Gabriel buscavam o pessoal na Van e levavam até o PC. Enquanto isso no meu carro, Eu, o Arnaldo e a Silvia que faríamos o último trecho, junto com o Jairo e o Camara (ambos PC 7), tentavamos na estrada rodar a pelo menos uns 20km por hora, mas tava difícil (estrada, acostamento e pista contrária tudo parado). Depois de mais de 2hs de viagem chegamos em Juqhey para deixar os 2 (a Rose já tinha ido de moto para esse posto).

A missão agora era chegar na Praia de Camburizinho, estacionar o carro, cuidar da alimentação, hidratação, alongamento e aquecimento (sem esquecer de um pit stop por que a coisa já estava ficando brava). Chegar até não foi difícil, mas estacionar.... Descemos e subimos a Serra de Boiçucanga e nada de lugar, e pra ajudar o Gabriel ligou informando que o Camara já tinha largado, há uns 10 minutos em direção ao nosso posto. Como anjo da guarda existe, saiu um carro justamente nessa hora, e afinal apareceu uma vaga.

Alimentãção e hidratação meia boca (pra ajudar a agua da minha mochila de hidratação tinha vazado), logo o Camara chegou (abaixo de 43 min), e lá foi a Silvia.... Ansiedade minha e do Arnaldo aguardando respectivamente a Rose e o Jairo chegarem.

Mário, Arnaldo, Camara, Fabinho
Alguns minutos depois chegou a Rose, e lá vou pro que considerei a primeira loucura deste ano (a 2ª se tudo der certo será subir a Serra de Campos do Jordão de Bike), fazer o último trecho da corrida que inclui as Serras de Boiçucanga e Maresias. Bem depois, eu não vi, mas falaram, chegou o Jairo e o Arnaldo (pelo 2º ano) foi fechar o trecho pela Equipe Gama 3.

Na empolgação da largada, fiz o início da Serra de Boiçucanga com pace mais rápido do que o previsto, o que custou um finalzinho de serra mais lento. Descida beleza, e o trecho plano entre Boiçucanga e Serra de Maresias foi, apesar do sol forte e vento contra, mais rápido do que eu tinha planejado. Um pouco antes da subida de Maresias, um caminhão das Casas Bahia quase me atropela (o mesmo que no congestionamento entre Guaratuba e Juqhey tentava fazer uma entrega), acabei depois passando por ele na subida da Serra, e novamente enquanto esperava a Van para voltar para Guaratuba (imagina o humor desse motorista, sábado, sol, trabalhando, muito trânsito, e um monte de loucos correndo na estrada).
o tamanho da encrenca.


No início da subida de Maresias (mais caminhei do que corri), o Marco e o Gabriel deram apoio (o Gabriel ameaçou correr junto, mas não achei uma boa idéia), depois, durante a subida passei ou fui ultrapassado por poucos corredores. A hidratação que era meu medo, foi muito bem feita com 2 postos de água e 1 de Gatorade (fora a oferta de bolo e água pela equipe de apoio de outros corredores).

Se a subida foi cansativa e estressante (parece que não acaba nunca, sempre que se faz uma curva aparece outra subida), e o vento contra tornou tudo mais difícil, a descida não foi mais fácil. Descer correndo já é um risco, correndo pelo acostamento (que não existe), grudado nos carros, e desviando das tartarugas (sinalização da estrada), é uma tarefa complexa, e além de tudo aquele caminhão das Casas Bahia, lá, também descendo a serra.

Finalzinho da Serra, indicação de mais 2km (plano) e 500 mts de areia fofa (antes fosse verdade).

Até dá para respirar aliviado, mas como tudo que estava ruim pode ficar pior, na saída da estrada, existe uma ruela (pedras, cascalho....), que termina num corredor com largura de uns 60 cm, formado por 2 paredes de uns 2ms de altura, e no final.... Areia Fofa... quem conhece Maresias sabe que aquilo não é areia fofa, é AREIA FOFA. Os 500ms na verdade são mais de 900ms, e escolher entre correr na beira d'agua (onde o pé afunda) ou na areia fofa (onde o pé fica preso e você pesa uns 50kg à mais), faz isso virar mais de 1km. Além de tudo nessa hora eu mais olhava para tras, do que pra frente, afinal ser ultrapassado pelo Arnaldo nos metros finais sería muita sacanagem... (apesar de ter conseguido tirar parte da vantagem que tinha, ele não conseguiu cruzar a linha de chegada antes).

Confusão na chegada achei que o Campeonato de Surf era a chegada da corrida,   pessoal do Gama esperando, primeiro o Marco e o Gabriel, depois o restante das equipes.

Passei com 1h09min58seg (pelo meu Garmin), imaginava fazer em 1h20min.

o trio de Maesias (Mário, Silvia e Arnaldo)

A galera do Gama comemorando mais uma.

Marcelo batendo um"rango" depois do dia inteiro organizando as equipes.

o trio de Maresias com o Marcio (Campeão da Categoria Solo)

Pra finalizar, confraternização e churrasco no Quartel General das Equipes, a gostosa casa do Adilson (este ano não correu por causa de uma cirurgia) em Guaratuba.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Amanhã Maresias

Loucura, loucura loucura..... o coração já esta disparado, e a cabeça à mil. Amanhã tem a corrida mais gostosa do ano, e também o meu maior desafio.

Prova de Revezamento Bertioga Maresias - 75km

São 75 km, com largada no Canto do Forte em Bertioga, passagem pelas mais belas praias do litoral norte de São Paulo, e chegada na praia de Maresias em São Sebastião.

Lindos cenários, muita animação, gente bonita e muito preparada. Ao todo são 9 postos de controle que servem para o revezamento entre os atletas das diversas equipes. Revezamento de 3, 6 ou 9 atletas, ou ainda corredores solo. As grandes dificuldades, as subidas ingremes, a areia das praias (às vezes alguns riachos), e dividir, em muitos trechos, a estrada com os carros.

Este ano a Assessoria Esportiva (Gama) montou 3 Equipes de 9 atletas, e os loucos que vão fazer o último trecho, subida da Serra de Maresias com chegada no areião da praia, sou Eu, a Silvia e o Arnaldo (e essa é a possível ordem de chegada, mas invertida...).

Era pra estar tranquilo, afinal o treino dos 2 últimos meses foi bastante forte, incluindo muita subida do Morro da Asa Delta, da Ilha Porchat, muito spinning, e principalmente muito areião. Mas, como nem tudo é perfeito, no último treino de areião senti a coxa e mesmo com remédio a dor não quer ir embora...

De resto tudo ok, dieta especial indicada pela Nutricionista, roupa já separada, nada de short ou meia nova (a grande causadora da bolha no pé na Meia Maratona do Rio).

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Voltando...



Parada forçada, não por falta de assunto, mas por absoluta falta de tempo. Nas últimas semanas a coisa esteve bastante complicada, agenda cheia em todos os sentidos. Mas acredito que na próxima semana, depois da comemoração dos 25 anos de casado, já seja possível retornar à normalidade.

O importante dessas 02 últimas semanas sem Posts (se é que alguém sentiu falta): o Blog completou 1 ano, com 5.000 acessos.

Bastante ou pouco? Não sei, mas foi além do que eu esperava.  Post campeão de acessos - TROPA DE ELITE EM MARESIAS.

E por falar em Maresias, dia 22/10 tem novamente a Maratona de Revezamento Bertioga Maresias - 72 km, e desta vez meu desafio é maior, sou, em uma das Equipes do Gama o último corredor, ou seja.... farei a "deliciosa" subida da Serra de Maresias. Nas outras 2 Equipes do Gama, essa parte será feita pela Silvia e pelo Arnaldo. Vamos ver no que dá. O importante é que eles terão que me esperar para o churrasco de confraternização (demore eu o quanto demorar).

Treinos dessas últimas semanas:  já que treinar subida em Santos é coisa complicada, o treino em areia fofa tem sido regra. Nos últimos 10 dias, foram pelo menos 3 treinos com muita areia fofa (o da última terça, tiros de 3 minutos no areîão em seguida tiros de 3 minutos na areia dura). Ontem um longão, para melhorar a resistência, já que os treinos em areia fofa trazem força.

Na bike, depois de mais de 1 mês sem conseguir treinar (dia de treino = dia de chuva), no último sábado deu certo.... 29km com muita subida e descida, e, apesar do longo período sem treinos, foi minha melhor performance (terminei inteirão, com velocidade ligeiramente superior às anteriores, e pedalando o tempo todo). Resultado dos treinos de spinning????? Acho que sim, e também voltei a ficar mais confiante em conseguir participar do Desafio de Campos em novembro.

Natação, continua a saga.... Depois do último grande engavetamento, a ECOVIAS faz comboio pra qualquer coisa, e.... lá se vai meu treino de natação. últimos 30 dias, 02 treinos.

É bom voltar,

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O Treino dos Outros



Neste caso, mais especificamente o do Marílson Gomes dos Santos.


No último domingo, na Maratona de Revezamento do Pão de Açúcar, enquanto aguardava, em meu posto de troca, para iniciar meu trecho na corrida, tive oportunidade de ver o Marílson passar, ou seria voar,  na “subidona” da Av. Professor Ascendino Reis.

Raramente tenho oportunidade de ver o Marilson, ou outros de ponta correndo, afinal eles largam na elite, e cruzam a linha de chegada bem antes de mim. Talvez na hora da minha chegada eles até já tenham tido tempo de tomar banho, café....

Na hora que ele passou, fiquei pensando, qual seria o treinamento dele, e por coincidência,  ontem o Blog Senta a Bota publicou o treino do Marilson para esta semana.

Numa brincadeira meio insana, resolvi comparar o treino dele com o meu (sem pretensões):

Dia
Marilson
Mário
2ª Feira
12 km a 3’35”
40’ musculação + 50’ spinning
3ª Feira
10’ alongamento +20’trote + 15’ alongamento + 4 arrancadas de 50 mts + 3 séries de 12 tiros de 400 mts em 63” (intervalo de 1’30’)
Corrida 10’ confortável + 30’ areião + 10’ confortável (aproximadamente 9 km)
4ª feira
15’ alongamento + 1h30’ rodagem (25’ livre + 40’ a 3’/km + 25’ a 3’35”/km) + 15’ alongamento. A tarde + 50’ a 3’15”/km
45’ natação + 50’ spinning (faltei na natação porque cheguei tarde em Santos)
5ª feira
10’ alongamento +15’ trote + 30’ musculação +30’ corrida leve + 10’ alongamento. A tarde 12 km em ritmo de 3’15”/km
Corrida 50’ confortável com 2 subidas no Morro da Asa Delta (até a escola) este é ferrado
6ª feira
Não foi publicado
50’ natação
Sábado
Não foi publicado
Ciclismo 35 km com subida de 02 serrinhas 2 vezes (Rio Santos)
Domingo
Não foi publicado
Descanso



Conversando com o Gabriel Lotfi, meu treinador no Gama Ass. Esportiva, ele comentou do tempo em que o Marilson estava por aqui (a esposa dele é de Cubatão), e dos treinos que ele fazia, mas lembrou que além da genética (privilegiada), depois do treino tinha fisioterapia, almoço, descanso, e ele certamente dormia bem.

Certo que as diferenças são muitas, desde idade, peso, rotina profissional, mas valeu a brincadeira, de comum encontrei apenas as 4 primeiras letras dos nomes.  
O que posso efetivamente aproveitar do treino dele, os educativos e o alongamento que detesto fazer, mas devem dar algum resultado...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O que faz você feliz?

Domingo de Virada Esportiva e da Maratona de Revezamento do Pão de Açúcar. Cerca de 35 mil participantes divididos em equipes de 2, 4 ou 8 corredores. Toda essa gente correndo no pequeno espaço geográfico próximo ao belo Parque do Ibirapuera.  

O bonito da prova não é só o lugar (o Parque encanta quem vai lá com menor freqüência), não é só a diversidade de corredores (desde um Marilson, passando por pessoas com idade bem avançada, ou ainda pessoas bastante obesas), ou o visual da corrida (em alguns trechos as pistas ficam paralelas e você pode ver pelo menos faixas de atletas em etapas diferentes da corrida), mas a integração entre as pessoas (que às vezes trabalham em uma mesma empresa, e tem ali uma oportunidade de se conhecer melhor), o reencontro com os amigos (encontrei Capitão Rodrigo – Equipe Blog Correria , o Luciano e a Eliana de Santos, a Sonia da Cargill, o Monteiro de S J dos Campos, entre outros).

Esta foi minha 6ª participação na prova, e a primeira na Equipe Gama (que treino desde 2008). No último ano participei pelo Blog Correria (Revista Runners), e nos anos anteriores Equipe da Cargill.



Mas, se participar da corrida é muito legal, ir para São Paulo requer muita força de vontade e determinação. A largada é às 7hs da manhã, prá chegar lá antes disso, saímos de Santos às 5hs da manhã (todos com menos de 4hs de sono).

Na estrada, ainda noite, bastante frio (termômetro do carro marcando 8ªC), e um amanhecer bonito prometendo bastante sol.

Chegada no Ibirapuera com tempo suficiente para o Arnaldo (1º de nossa equipe a correr), e o Marco (1º da equipe Cargill), se dirigirem para o portal de largada, e o restante da equipe para os postos de troca (Silvia, Gabriel e Jairo do lado impar, Eu, Alice, Emília e Luíza do lado par).

Na corrida, bastante sol (esqueci o filtro solar, meus ombros parecem pimentão), e temperatura gostosa , o percurso, mesmo de anos anteriores, é bem cansativo, parecendo, de tanto sobe e desce, uma montanha russa.

Durante a corrida, nenhum ou poucos problemas (apenas a dificuldade na definição do box em função da confusão causada pelas cores verde claro e verde escuro). Apesar de nossa Equipe ser de 8 integrantes onde cada um deveria fazer em média 5,2km, o Arnaldo e a Silvia completaram os 10,5km do circuito, e o Gabriel além dos 10,5 km, mais um trecho de 5,2km). Na finalização do revezamento de nossa equipe, que foi feito pela Luiza, Eu o Arnaldo, o Marco, o Jairo e o Gabriel acabamos também participando.

Fechei meu tempo em 00:27:27seg, baixei meu tempo de 2010 em cerca  de 40 segundos. Na volta de encerramento, valeu a experiência de correr com uma mochila de uns 3kg nas costas, deu pra ver o estrago que o excesso de peso causa.



Nossa equipe fechou em 3:58:40seg, abaixo das 4:01:00 que havíamos previsto.

Valeu o domingo, que comprovou o slogan da prova....

CORRER COM OS AMIGOS FAZ VOCÊ FELIZ.


domingo, 4 de setembro de 2011

Corrida de Cabritos



A dúvida foi grande, Corrida de Cabritos ou Formiguinhas ? Qualquer um se encaixa para falar da prova de ontem. A imagem de quem assiste da base da montanha deve parecer com um carreiro de formiguinhas, ou ainda de um monte de cabritos escalando o morro.

Não mais de 300 corredores, 12 km, sendo pouco mais da metade dentro da montanha, em trilhas íngremes, estreitas, escorregadias e perigosas.

Da largada até a área de proteção florestal são quase 3 km, em cascalho, pontes, escadas, subidas, e ontem com bastante sol e calor. Nesse trecho até deu para forçar um pouco e fazer na casa de 5:20 mim por km. Pouco antes da montanha um posto de hidratação, e lá vamos nós "floresta" adentro.



À partir da entrada no Portão da Reserva é que a brincadeira começa.... boa subida, sombra, pedra, e curvas, pouco mais adiante mato, lama, e trilha, estreita e íngreme. E assim serão os próximos 6 km.


Na trilha,é impossível correr, ultrapassar, ou desviar o olhar do chão, seja para escapar dos formigueiros, seja para não tropeçar  nas raízes de árvores, ou pior ainda, para não cair em um dos inúmeros buracos. Este ano, só eu levei 3 tombos, em uma  pedra, em uma raiz de árvore (quase cai de cara no chão), e um escorregão de bunda na lama. Os quase tombos não foram poucos, e o mais hilário foi o escorregão, tentei me segurar num galho, ele arrebentou e ... chão.

Nesse trecho, se subir é difícil, mais parece escalar do que correr, descer não é mais fácil, se embalar na descida e patinar em um trecho de lama..... o tombo é certo e o estrago pode ser grande.

Esses 6km de Reserva levam a uma altitude de 140ms, mas ao todo, as subidas totalizam 263ms de elevação.

O divertido é que como não dá quase para ultrapassar, todos "correm" juntos em fila indiana, e se ajudando, seja avisando dos buracos, seja ajudando a descer pedras, ou a atravessar as 2 cachoeiras do meio do caminho.

Terminada a parte da montanha, os próximos 3km, até a chegada, até parecem fáceis, mas só pedras, cascalho, pontes estreitas, terra, escadas.... nada de asfalto.



Meu tempo este ano, 1h36min, cerca de 4minutos mais lento do que em 2010, mas.... este ano mesmo sendo o mesmo percurso, o desafio foi maior, o mato estava mais alto, com muito mais lama, muito mais escorregadio.

No final, depois da premiação (pelo Gama, a Silvia, a Alice e a Emília levaram Pódio, e pelo Scania Clube a Josie), um lanchinho no carro, e volta pra Santos.

Além das 4 medalhistas, parabéns pra Mim, para o Gabriel, Arnaldo e Gislene (Scania Clube), por ter coragem de enfrentar esse desafio.


Parabéns duplo pro Arnaldo Duarte, que além dessa pedreira da Corrida das Torres no sábado, enfrentou domingo cedo a Meia Maratona da Praia Grande (debaixo de bastante calor), e ainda conseguiu baixar o tempo.








quinta-feira, 1 de setembro de 2011

OFF ROAD



Sai o asfalto e a areia de praia e entra o cascalho, a terra, as trilhas estreitas e ingremes, as ribanceiras que assustam, as cachoeiras.

Não é preciso tomar cuidado com as lombadas e sinalizações de rua, mas com os formigueiros, galhos de árvore caídos, lama.

Esquece do visual urbano, a largada é à beira do Canal da Bertioga, o trajeto pelos morros, e a chegada no mesmo canal. Prédios e casas, poucos perdidos no meio do percurso.

O objetivo, nos 12 km do percurso é passar pelas 4 Torres de Transmissão da Eletropaulo, que estão à margem da Rodovia Rio-Santos, no Bairro do Caruara (divisa Santos - Bertioga).

Totalmente diferente do que estamos acostumados em nossos treinos ou em outras corridas, a Corrida das Torres, neste próximo sábado, é um desafio pelo grau de dificuldade e um presente pelo visual (por ser área de reserva, a visitação a esses locais é mais restrita, e esta é uma ótima oportunidade).

A idéia é correr (?????) com a máquina fotográfica na mão, e curtir muito.  Lá vamos nós, Eu, Arnaldo, Gabriel, Silvia (Pódium no ano passado), Alice, Emília (Pódium no ano passado), e estreando este ano (depois da propaganda que eu fiz), a Gislene (Scania).

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Ajustando o caminho,

Nada é estático, nada é definitivo, mudanças acontecem, e ajustes são necessários.

No início do ano, a previsão era começar natação e ciclismo, mas não participar de nenhuma prova nesses esportes, mas.... você começa a treinar e ai bate a vontade de fazer um teste, ver a evolução...

Natação ainda não esta na hora, mas ciclismo fiz uma prova em julho (que não conclui porque estourei a corrente da bike), e acompanhei (sem participar) o Gabriel no Desafio de Campos. E nessa realmente, apesar do alto grau de dificuldade, deu vontade de participar.

E... feita inscrição para a 3ª Etapa da COPA VO2 DE CICLISMO, Desafio da Serra de Campos, em Novembro. Prova nada fácil..... percurso de 50km, boa parte subida, saindo de Santo Antonio do Pinhal e chegando a Capivari em Campos do Jordão. Na última, a que acompanhei o Gabriel, boa parte dos atletas caminharam carregando a bike.

Além dessa nova invenção, com a decisão de fazer o último trecho (Serra de Maresias) do Revezamento Bertioga Maresias, o desafio do 2º do Semestre ficou mais forte, e totalmente fora das minhas características de corrida (detesto subida, e lá serão 10,8 km com 3,5 km de subidas).

Para ajustar essa nova demanda, com as dificuldades metereológicas (todo sábado, justamente o dia do treino de ciclismo em estrada, tem chovido), conversei com o Gabriel, e esta semana começamos uma nova etapa de treinamento, aumentando um pouco o aeróbico, e diminuindo a musculação.

A partir desta segunda-feira, tem spinning 2 vezes por semana, musculação diminui 1 dia, corrida mantém os 3 dias (mas um pouco mais curtos e com mais foco em subidas), natação 2 dias, no sábado (se São Pedro ajudar) tem ciclismo na estrada, e domingo tem descanso (mas se o tempo estiver bom, tem rodagem leve de bike).

O esperado é fazer Bertioga Maresias sem sofrer muito, e principalmente conseguir terminar o Desafio da Serra de Campos (mesmo que precise empurrar a bike um pouco).

Totalmente fora desse foco, sábado agora, para descontrair e sofrer um pouco, tem a Corrida das Torres, prova rústica, em Bertioga, com 12 km de asfalto, terra, lama, morros, passagem por dentro de cachoeiras. A proposta é de Eu, a Silvia e o Arnaldo (os 3 que farão o trecho final de Maresias pela Gama), fazermos juntos.

Postagens populares